O NOSSO MANIFESTO

O NOSSO MANIFESTO

Durante muito tempo acreditou-se, e com razão, que alcançar o topo significava olhar para um horizonte estratégico sem nuvens.
Essa Era já acabou. Novos players gerem os seus negócios no meio de uma tempestade de tecnologia e de novos modelos de negócio, adaptando-se rapidamente às expectativas dos consumidores.

Esta tempestade assume-se com vários nomes: “uberização”, “disrupção” ou “comoditização”. Independentemente do que lhe chamamos, este fenómeno é sério e desafia brutalmente o status quo de grandes empresas instaladas, obrigando-as a revisitar completamente as suas organizações, a digitalizar as suas culturas corporativas, e a tornar as suas equipas ágeis. Google, Airbnb, Uber, Amazon, e agora, Tesla, SpaceX e Blue Origin: Nenhuma indústria escapa ao ritmo imposto pela corrida dos players digitais.

Como entrar nesta corrida, lidando com a rotina diária da nossa organização, sem nos perdermos?

Como podemos enquanto colaboradores, gestores e líderes, tornar este imperativo operacional? O desafio é difícil, porque enquanto as implicações digital são certamente tecnológicas, também são culturais e organizacionais. Em suma, o caminho digital não pode ser improvisado.
É aqui que entra o FABERNOVEL INSTITUTE.

A nossa missão é simples: ajudamos as equipas e as organizações a acelerar muito mais rápido.

Considere 4 alavancas para ser um “perfect runner”.

01
OS PROGRAMAS CERTOS
Strategic Programs, Learning Programs, Engaging Programs.

02
A BÚSSULA CERTA
Learning Expeditions a Lisboa, Paris, São Francisco, Xangai…

03
O NETWORKING CERTO
Club by FABERNOVEL INSTITUTE

04
O CAMINHO CERTO
Metodologias AGILE

Cada caminho é necessariamente único, porque temos em conta a singularidade de cada empresa, a sua cultura interna e sua demografia e a sua organização.

Pelo caminho, os nossos clientes vão descobrindo novas capacidades e competência que desconheciam ter: as grandes empresas têm um capital tangível e intangível que os novos players não têm. Adequadamente catalisado, este capital alimenta a corrida e permite às empresas identificar, partilhar e colocar em ação uma cultura digital única. “Esperar para ver” não é a melhor opção quando se pode acelerar muito mais rápido.